Capoeira em Trancoso

A capoeira é uma expressão da cultura brasileira que mistura arte marcial, história, esporte, folclore, dança e muita música. Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, a Capoeira tem uma origem criativa e muito digna. Conheça um pouquinho mais da história dessa arte:

O termo “Capoeira”, curiosamente, vem do tupi, “ kapu’era”, que significa “mata que foi”, ou seja, um campo roçado para o cultivo, mas que antes era mata fechada. Entretanto, a arte da copeira foi  herança deixada pelos escravos africanos no final do século XVI; talvez por isso, o nome seja esse, afinal era atribuição dos escravos roçar a mata para o cultivo da cana-de-açúcar, e a capoeira era praticada em campo aberto, junto a senzala.

A capoeira é uma arte marcial que possui movimentos ágeis e ritmados a uma música para ser confundida com uma dança. Na época, com o intuito de ludibriar os escravizadores, que não percebiam que não se tratava de uma confraternização na senzala, e sim um treinamento de arte marcial que poderia ser útil durante as tentativas de fuga. Assim, os escravos praticavam a capoeira enquanto seus companheiros cantavam e batiam palmas, e uma vez ou outra, fingiam estarem dançando, para disfarçar o treinamento.  Os golpes e esquivas eram praticados durante essa uma falsa dança, que daria a origem então a um importante elemento da capoeira: a ginga.

A ginga é o movimento elementar da capoeira, e requer uma boa dose de coordenação motora. Seguidos dos chutes aéreos em rotação, as rasteiras, os floreios, como o “aú” e a parada de mão, conhecida na capoeira como “bananeira”, além das cabeçadas, por muitas vezes os escravos estarem acorrentados. Todos esses movimentos requerem força, grande elasticidade e muito treino. Por fim, as imprescindíveis esquivas, que demandam agilidade, atenção redobrada e muita prática.

A musicalidade distingue a capoeira de todos os outros esportes de combate, pois os praticantes aprendem não apenas a lutar e “a jogar” (que seria a forma lúdica de praticar), mas também a tocar instrumentos típicos e a cantar, solo ou em coro. A música é fundamental na formação da roda de capoeira; que resulta em um circulo de capoeiristas cantando e tocando enquanto a capoeira é jogada. É na roda, que os capoeiristas, além de praticar o esporte, compõem um belo e memorável espetáculo artístico,  geralmente acompanhados de um bater de palmas, atabaque e o som do berimbau.

A pratica da capoeira, antes marginalizada, somente foi reconhecida como esporte no Brasil em 1937, depois que Mestre Bimba a apresentou ao então presidente Getúlio Vargas. Foram 71 anos até ser tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio cultural Brasileiro e recentemente, em 2014, reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO, justamente por reunir história, cultura, música, dança, direitos humanos, luta pela liberdade, honra, dignidade, coragem, crenças, fé e resiliência, expressando assim, importantes valores da humanidade em uma única arte.

Gostaram da história? Muito legal, né? O Contra Mestre Diney de Trancoso nos forneceu essas belas fotos! Obrigada Diney!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s